Repórter é agredida e sofre racismo de funcionário da prefeitura de Japeri: 'Me chamou de macaca'



A jornalista Julie Alves foi agredida por um funcionário da prefeitura de Japeri, na Baixada Fluminense, durante uma reportagem do programa “Fala Baixada”, do canal CNT Rio. A jornalista também foi chamada de “macaca” e o cinegrafista de “gordo”. Ambos mostravam os problemas em um lixão que fica ao lado de uma unidade de saúde do município quando as agressões ocorreram.

O agressor é Clodoaldo Silva de Souza, conhecido como Dudu, diretor da Unidade Médica de Engenheiro Pedreira (Umep), distrito de Japeri. Ele havia sido abordado pela repórter para falar sobre o problema do lixão.

“Estávamos filmando o lixão e perguntei se alguém do posto poderia falar sobre o assunto. Esse cara consentiu e, quando entramos no pátio, já gravando, ele começou a gritar, disse “grava não, c… Vai para casa do c…, não pode gravar aqui” e fui narrando o que acontecia. Eu disse que gravaríamos sim, e ele falou: “Não vão gravar nada, sua macaca”. O cinegrafista foi me defender, e ele disse: “Cala a boca, seu gordo”. Foi então que ele partiu para cima de mim. Deu um tapa na minha mão. Pensei que ele fosse dar na minha cara, e o microfone caiu. Eu me abaixei para pegá-lo e ele avançou no cinegrafista”, relata.

Julie e o cinegrafista registraram um boletim de ocorrência na 63ª DP de Japeri. O funcionário da prefeitura foi denunciado por lesão corporal, injúria por preconceito e ameaça contra os dois. A informação é do jornal Extra.

Fonte :  Luisa Fragão para  Revista Forum

Comentários