Presidente da Fundação Palmares divulga selo 'não-racista'

O intuito, segundo Sérgio Camargo, é limpar a imagem pública das pessoas que foram acusadas 'injustamente" de cometer crime racial


Capturar.JPG




O presidente da Fundação Cultural Palmares, Sérgio Camargo, divulgou em seu perfil no Twitter, nesta quarta-feira (27), o selo “não racista” a ser concedido a quem, nas palavras dele, é acusado "injustamente" de cometer preconceito racial no país. Ele, que nega que exista racismo real no Brasil, diz que o intuito é limpar a “imagem pública das pessoas atingidas”.

“O selo da Fundação Cultural Palmares pretende restaurar a reputação de pessoas que injusta e criminosamente foram tachadas de racistas em campanhas de difamação e de execração pública promovidas, especialmente pela esquerda. Ou seja, limpar a imagem pública das pessoas atingidas”, escreveu no perfil.

Os critérios para escolha de quem vai receber o “prêmio” não foi divulgado, mas ele afirmou que até o fim desta semana vai divulgar o nome do primeiro “agraciado” que, nas palavras dele, é “um célebre injustiçado, que todos nós admiramos”. O presidente da Fundação Palmares afirmou que, posteriormente, outros serão premiados

Camargo assumiu o posto em fevereiro deste ano após uma disputa judicial. O presidente da entidade não concorda com o feriado do dia da Consciência Negra e chegou a dizer que a escravidão foi “benéfica para os descendentes” no país. Ele insiste na tese de que “praticamente todas acusações de racismo procedentes da esquerda são fakes ou relatos deturpados por objetivo político”.

Comentários