O tamanho de Rappin Hood um dos maiores nomes do rap nacional

Rappin Hood

Nascido Antônio Luiz Júnior, Rappin' Hood cresceu na Vila Arapuá, Zona Sul de São Paulo, onde ainda jovem aprendeu a tocar diversos instrumentos, entre eles trombone e corneta, e mergulhou na cultura hip-hop. Em meados dos anos 90, estourou com a música "Sou Negrão" e, em 2001 e 2005, lançou os dois volumes de "Sujeito Homem", uma das séries essenciais do rap nacional.

Além de compositor e rapper, Hood o é produtor e ativista brasileiro.

Ele FAZtrabalho social na comunidade, com o projeto: grêmio recreativo escola de samba Rappin’ Hood futebol clube, que foi homenageado por Afrika Bambaataa(cantor, compositor, produtor musical e DJ estadunidense conhecido por ser líder da ONG Zulu Nation). Hood com essa atitude acabou recebendo o certificado de membro da Zulu Nation(ONG que tem como princípio as bases do Hip Hop, mostrando sua verdadeira essência ).



"Quando eu era muito garoto. Meus tios faziam bailes no interior de São Paulo, mais precisamente em Araraquara, e eles compravam muitos discos. Eu já comecei a ouvir rap quando a primeira geração chegou: Grandmaster Flash, Afrika Bambaataa, depois Kurtis Blow e Break Machine, enfim, esses caras do começo mesmo. Me inspirei também em uns caras brasileiros que faziam rap, como Pepeu & Mike, Thaíde & Dj Hum, Os Metralhas, Jr. Blaw e Região Abissal. Aí eu já comecei a dançar break e a fazer rap, bem novão."



"Não quero mais ouvir os caras falando que rap é som de ladrão. Rap tem de ser som de músico. Quero escutar as pessoas comentando, perguntando: "Essa música é legal. O que é?". E eu poder responder: "É rap, mano! "

Trombonista e ex-aluno da Universidade Livre de Música, onde estudou durante um ano e meio, Hood defende um trabalho mais apurado nas composições do rap nacional. Além disso, ele apóia a regionalização das bases utilizadas. "Eu tenho vontade de samplear Tião Carreiro e Pardinho, o tipo de som que meu pai ouvia quando eu era moleque. O rap brasileiro tem de ter uma cara mais brasileira."

Rappin' Hodd,costuma fazer conexões com nomes da MPB e do samba. O rapper gravou participação no álbum, Bandeira da fé, que Martinho da Vila preparou na cidade do Rio de Janeiro (RJ). Rappin' Hood faz intervenção na música O sonho continua, parceria dele com Martinho e Jujuh Ferreira. A letra celebra a ideologia do pastor e ativista político Martin Luther King (1929 – 1968).

Como ele mesmo fala , a participação na musica de Jair Rodrigues é pra ficar na história .
Confira vídeo:

 
Leci Brandão chama o Rapper  " De o Novo Partideiro "



Fiel as  suas referências musicais , Hood  é um dos organizadores do 16º Tributo ao Sabotage. 

“O Sabotage é eterno, serve de inspiração para pessoas de todas as quebradas do Brasil. Em qualquer lugar que você chegar, todo mundo já ouviu rap e já ouviu Sabotage”, disse o cantor Rappin Hood.


História do rapper Sabotage vai ser contada no cinema - 30/08/2019 ...


Ainda falando das conexões na MPB ,  Rappin gravou com Caetano Veloso, um excelente  trabalho,  sintam a mensagem que a música transmite.
Confira : 

" Seria fácil para mim falar que o rap é radical, que somos a revolução, mas hoje não tem ditadura, não fui mandado embora do Brasil. Mas, se eu discordar de algo do Gil, do Caetano ou até do Lula, eu vou falar, isso é a cara do rap, porém,  acho difícil discordar deles , admiro e respeito o trabalho de  todos eles." 

QUAL O TAMANHO DO RAPPIN HOOD ?
Um dos principais nomes do rap e do hip-hop no Brasil, o artista sempre encarou a luta por uma sociedade melhor, encabeçando projetos sociais que levassem à frente possibilidades de uma vida melhor para os menos privilegiados, negros e pobres. 




Comentários