“Pra que quero 10 Ferraris? Prefiro construir escola”, diz jogador do Liverpool

Resultado de imagem para para que quero dez ferraris"

Sadío Mané é, indiscutivelmente, um dos maiores atacantes da atualidade no futebol. O jogador que representa o Liverpool, da Inglaterra, e foi recentemente campeão da ‘Liga dos Campeões da Europa’, tem uma conta bancária de astro do futebol, mas, ao contrário do que diz a regra, não é muito bem o cara da ostentação.


Por Yuri Ferreira, Do Hypeness


Mané é natural do Senegal e nunca esqueceu suas raízes. Segundo ele, para quem veio da pobreza e já passou fome, não faz sentido ostentar riquezas.

“Para que quero 10 Ferraris, 20 relógios com diamante e dois aviões? O que faria isso pelo mundo? Eu passei fome, trabalhei no campo, joguei descalço e não fui ao colégio. Hoje posso ajudar as pessoas. Prefiro construir escolas e dar comida ou roupa às pessoas pobres”, disse o atacante do Liverpool em entrevista à Teledakar.

Sadío faz ações sociais em seu país e busca propor soluções para combater a fome e a pobreza. Seus principais focos são renda e educação. “Construí escolas, um estádio, proporcionamos roupa, sapatos e alimentos para pessoas em extrema pobreza.”

O jogador também faz doações para uma comunidade do país africano.“Dou 70 euros por mês a todas as pessoas em uma região muito pobre de Senegal para contribuir com sua economia familiar”, adicionou.

Exemplos no mundo da bola

O técnico de Mané no Liverpool, Jurgen Klopp, junto com diversos outros treinadores da Premier League, principal campeonato da Inglaterra, se manifestou contra o racismo no futebol. Após repetidos casos de injúria racial na liga inglesa, treinadores como Klopp, Pep Guardiola, Maurizio Sarri e Maurizio Pochettino ameaçaram abandonar partidas e retirar seus times de campo em caso isso se repita.

“O problema não é sobre o futebol em si, é a sociedade, o que está acontecendo na sociedade. A extrema direita está avançando e a mensagem que eles usam para ganhar votos, eleições, não nos deixa seguros. Não é um problema do futebol, é a própria sociedade”, afirmou Pep Guardiola, treinador do Manchester City.

Outro jogador da Premier League, esse brasileiro, também é um exemplo de ajuda contra a ostentação. Richarlison, que defende Everton e é cria da base do Fluminense, do Rio, fez uma ação na sua cidade natal, Nova Venécia, no norte do Espírito Santo. O atacante da Seleção Brasileira doou mais de 600 quilos de comida para famílias carentes de sua cidade.

Richarlison- homem pardo vestindo o uniforme da seleção Brasileira- em pé olhando para frente
(Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)
Em junho desse ano, Richarlison doou quase 50 mil reais para estudantes do Instituo Federal do Espírito Santo, em Nova Venécia, para que eles estudassem e participassem da Olimpíada Internacional de Matemática, em Taiwan.

“O nosso orgulho por você não é só pelo seu destaque em campo, mas se estende por todas essas ações que proporcionam um retorno imensurável para a cidade. Esperamos que essa oportunidade permita expandir nossos horizontes acadêmicos e inspirar muitos outros estudantes, como nós, a se dedicarem ao progresso da educação brasileira”, disseram os alunos auxiliados por Richarlison.

Comentários