Natalia Kanem, do Panamá, é nomeada chefe do Fundo de População da ONU

A panamenha Natalia Kanem foi nomeada nesta terça-feira (3) diretora-executiva do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA). Decisão é do secretário-geral da ONU, António Guterres. Formada em medicina pela Universidade de Colúmbia, a latino-americana possui mestrado em saúde pública pela Universidade de Washington e também é graduada em História e Ciência por Harvard. Ela ocupará o cargo pelos próximos quatro anos.






Desde junho, Natalia atuava como diretora-executiva interina da agência da ONU, após o falecimento do então chefe do UNFPA, Babatunde Osotimehin. Antes de ser chamada a ocupar o cargo, a especialista trabalha como adjunta na Direção do Fundo de População. De 2014 a 2016, atuou como representante do organismo na Tanzânia.

“O mandato do UNFPA nunca foi tão relevante”, afirmou a especialista após a nomeação. “Estou profundamente comprometida a concretizar a visão do UNFPA para um mundo em que todas as gestações sejam desejadas, todos os partos sejam seguros e cada jovem alcance seu potencial.”

“Como diretora-executiva, vou me concentrar em buscar os objetivos transformadores do UNFPA, que estão baseados em nosso novo Plano Estratégico 2018-2021: acabar com as mortes maternas evitáveis, acabar com gestações não intencionais por meio do atendimento à demanda por planejamento reprodutivo, bem como acabar com a violência de gênero e práticas nocivas, como o casamento infantil, até 2030.”

Antes de trabalhar com a ONU, a panamenha foi diretora da Fundação Ford de 1992 a 2005, liderando iniciativas pioneiras em saúde sexual e reprodutiva das mulheres, sobretudo como representante da instituição para a África Ocidental. Natalia também atuou na sede da Fundação, tornando-se vice-presidente adjunta por seus programas mundiais de paz e justiça social na África, Ásia, Europa Oriental, América Latina e América do Norte.

A gestora foi presidente fundadora da ELMA Philanthropies Inc., uma entidade privada focada principalmente em crianças e jovens na África. Lá, atuou desde o início da instituição até 2011. De 2012 a 2013, foi associada sênior do Lloyd Best Institute of West Indies, dedicado ao desenvolvimento no Caribe.

Fonte: Nações Unidas do Brasil

Opinião da Preta : Parabens a Natalia Kanem

Comentários