Mulher negra com renda mensal de R$ 285 é perfil de maioria no Cadastro Único




Ter inscrição no CadÚnico é uma das condições para receber os R$ 600 do auxílio emergencial. Em dezembro de 2018, 2,6 milhões de famílias inscritas no programa tinham renda zero

A última pesquisa feita do perfil socioeconômico dos brasileiros inscritos no Cadastro Único (CadÚnico), em dezembro de 2018, registrava que 83% das famílias inscritas eram chefiadas por mulheres. Na época, o banco de dados do governo federal para identificar famílias brasileiras de baixa renda somava 68,4 milhões de pessoas inscritas.


Estar no Cadastro Único é uma das condições que o governo federal estabeleceu para receber o auxílio emergencial de R$ 600 durante a pandemia do coronavírus. Além desta, ser Micro Empreendedor Individual (MEI), cumprir o requisito de baixa renda ou ser contribuinte do INSS também são condições para receber o auxílio.

A média de integrantes de cada família era de 2,7 pessoas, número que confronta o imaginário social da classe média de que “pobre tem muito filho”. Ainda, 40 milhões de pessoas cadastradas na época tinham mais de 18 anos e, desses, a grande maioria eram negros (71,5%) e mulheres (62,6%).

A renda familiar era de R$ 285 por integrante e havia 2,6 milhões de famílias com renda zero. O levantamento foi feito pelo pesquisador Guilherme Hirata, da consultoria IDados, com base em informações da Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação(SAGI), do atual Ministério da Cidadania, responsável pelo Cadastro Único.
Fonte : Revista Fórum 

Comentários