Corinthians TV vai exibir programa para a comunidade negra



Cem anos atrás, no dia 9 de fevereiro de 1919, o primeiro negro estreava no futebol paulista, atuando pelo Corinthians. O time do povo já havia tentado inscrever um outro jogador negro, mas teve o pedido rejeitado pela Liga Paulista de Futebol. Bingo, um atacante versátil, entrou no decorrer da partida contra a Ponte Preta e marcou duas vezes.

Fiel à sua história, o Timão outra vez entra em campo na luta contra o preconceito. A partir do dia 2 de março, o Afro Timão, com 30 minutos de duração, passar a ser exibido semanalmente na Corinthians TV, que fica no site do clube. “Geralmente os negros só são procurados para dar entrevista em maio (Abolição da Escravatura) e em novembro (Dia da Consciência Negra). Você não vê os negros dando depoimentos na grande mídia, só aparecem em tragédias, questões policiais ou quando são vítimas de alguma agressão”, afirma o jornalista Wagner Prado, produtor e apresentador do programa.
Apresentador Wagner Prado (à esquerda) com o primeiro entrevistado Raul Nascimento, mestre em Contabilidade pela PUC - SPApresentador Wagner Prado (à esquerda) com o primeiro entrevistado Raul Nascimento, mestre em Contabilidade pela PUC - SPFoto: Paradinha Esportiva

Não precisa voltar no tempo para ver como a presença do negro ainda é tímida. Basta lembrar da repercussão que Maju Coutinho causou no sábado por ter sido a primeira negra a apresentar o Jornal Nacional, 50 anos depois da estreia do principal telejornal do país. O primeiro homem negro a apresentar o jornal foi Heraldo Pereira, em 2002. “A ideia do programa surgiu em uma conversa informal com o Tiago Oliveira (gerente de comunicação do Corinthians). O Corinthians está aberto para apoiar manifestações e a cultura de diferentes povos. Já fez isso na campanha “Respeita as mina” e no apoio aos refugiados. Nessa nossa conversa surgiu a ideia de fazer esse programa para a comunidade negra”, conta Prado.

O enfoque do Afro Timão não vai ser apenas esportivo. Na estreia, o programa vai apresentar uma entrevista com Raul Nascimento, mestre em Contabilidadepela PUC-SP, que vai falar da relação do negro com o dinheiro. “É uma relação que já não começou bem, porque o negro tinha que comprar a liberdade e ele só recebia um chão para dormir e a comida”, destaca o jornalista.



Wagner PradoFoto: Paradinha Esportiva

Comentários