Racismo Estrutural "Preto é tudo igual -Acusado de morte de jovem que tentou defender mãe foi preso com base em fotos de redes sociais, diz defes






A defesa de Leonardo Nascimento dos Santos, de 27 anos, preso pelo assassinato do jovem Matheus Lessa, que morreu ao defender a mãe na última terça-feira, afirma que a prisão em flagrante do acusado é ilegal. Segundo Karen Pesenti, advogada de Leonardo, ele foi preso com base em reconhecimento feito por meio de fotografias compartilhadas na internet sobre supostos autores após o crime.

As imagens teriam sido levadas, um dia após o crime, à mãe de Matheus, que confirmou que aqueles eram os responsáveis pelo crime. Leonardo, então, foi preso em flagrante, 24 horas após o homicídio, em casa. Em seguida, ele foi levado à delegacia e reconhecido presencialmente por quatro pessoas, a mãe de Matheus entre elas. No entanto, para Pesenti, o reconhecimento foi feito de forma errada.

Letícia, Leonardo e seus pais

Esse é um momento muito triste. Não imagino o sofrimento pelo qual a família da vítima está sofrendo. Só que a investigação está sendo feita de maneira errada. A prisão em flagrante foi feita de forma ilegal, no dia seguinte ao crime, sem as condições para uma prisão em flagrante. Depois, o reconhecimento foi feito de forma errada: o Leonardo é negro, com um tipo parecido com o descrito pelas vítimas. As outras três pessoas que estavam ao lado dele tinham tipos diferentes: um era branco e outros dois, pardos. Isso foi falado para o delegado no momento do reconhecimento, em vão — diz Pesenti.

A advogada vai apresentar à Justiça imagens de câmeras de segurança que mostram Leonardo entrando no condomínio Recanto do Sabiá, em Guaratiba, para jogar futebol num campo que fica dentro do conjunto no mesmo horário do crime. O jovem passa pela câmera duas vezes: às 18h46, a caminho do campo, e às 19h09, voltando para sua casa, que fica próxima ao campo. O crime aconteceu por volta das 19h, a cerca de três quilômetros do local onde a filmagem foi feita. Segundo a família, Leonardo foi para casa depois de voltar do campo: naquele dia, não houve jogo.

Leonardo em seu último emprego
O óbito da vítima foi constatado às 19h20. O crime aconteceu por volta das 19h, 19h15. Definitivamente, não é possível que ele tivesse passado por aquele local no horário mostrado pelas imagens e cometido o crime. Sem contar que a camisa usada por Leonardo no vídeo é diferente daquela descrita pelas vítimas como a usada pelo suspeito — afirma a advogada.

Leonardo vive com os pais e a irmã. Ele é eletricista e trabalhou até meados de 2018 numa gráfica, de onde foi demitido. Hoje, recebe auxílio-desemprego e estava em busca de outro emprego. Torcedor fanático do Flamengo, recorrentemente vai a jogos do time no Maracanã. Na última sexta-feira, Leonardo e a irmã fariam uma viagem à Ilha Grande com amigos para comemorar o aniversário dos dois neste domingo.

Procurada, a Polícia Civil afirmou que “o acusado foi reconhecido por quatro testemunhas. A prisão em flagrante foi convertida em preventiva por determinação da Justiça
”.
Matheus e sua mãe, Carla

Fonte : Extra

Comentários