Fabrício Boliveira opina sobre racismo



Fabrício Bolivieira vive o ano mais mais marcante da carreira. Cinco filmes lançados ou com previsão de lançamento para breve — "Tungstênio", "Tropykaos", "Além do homem", "Simonal" e "Miragem", e um personagem emblemático na televisão. Roberval, de "Segundo sol", faz o ator pensar sobre as heranças da escravidão histórica no país. "As pessoas não estão acostumadas a ver o negro poderoso", diz, em entrevista à revista "Poder".

Em 2019, Fabrício fará Wilson Simonal no cinema. O filme mostra a ascensão e a queda do cantor de destaque na Música Popular Brasileira. Num momento de sua carreira, no entanto, houve suspeita de que Simonal fosse colaborador do Departamento de Ordem Política e Social (DOPS).

"A história dele é repleta de preconceitos. Quem prendeu o Simonal foi a direita, mas quem sempre o julgou foi a esquerda. O cara foi lenhado pelos dois lados", opina Fabrício Boliveira, que complementa: "Interpretá-lo, mergulhar na sua vida e contar sua verdadeira história será algo que eu jamais vou esquecer".

Comentários