Evento debate racismo na publicidade e na mídia



Um sabonete que usa, em uma campanha publicitária, uma modelo negra “trocando de roupa” e virando branca; uma loja de departamento que, no Dia Internacional da Mulher, faz uma propaganda retratando uma mulher negra servindo uma branca; uma marca de roupas que, para divulgar uma liquidação, coloca manequins da cor preta amarrados pelos pés de cabeça para baixo; uma varejista de moda multinacional que coloca, em seu catálogo, a foto de uma criança negra com um casaco em que se lê: “Coolest monkey in the jungle” (em português, “O macaco mais legal da selva”).

Todos esses casos são de propagandas midiáticas que repercutiram nas redes sociais nos últimos anos por fortalecerem esteriótipos racistas. Aliada à falta de representatividade – de acordo com dados de 2016 da agência Heads, mais de 90% da população retratada em peças publicitárias televisivas no país é branca, enquanto mais de 54% da população é negra -, os padrões negativos construídos culturalmente para os negros ainda é presente em boa parte das ações de marketing, o que tem gerado questionamentos e será tema de um debate na OAB/RJ.

Organizado pelo grupo de trabalho Mulheres Negras, da Comissão OAB Mulher, o evento A voz de mulheres negras: Racismo na mídia e na publicidade será realizado no dia 7 de fevereiro e reunirá mulheres de diversas áreas para debater casos como citados acima, além de analisar também o tratamento específico dado pela mídia às mulheres negras, historicamente objetificadas.

“Estamos construindo este evento desde o ano passado em razão das diversas propagandas que foram acusadas de racismo. É importante que a gente se posicione e mostre para as pessoas onde está o negro na sociedade, mostre como temos pouca representatividade negra e como o racismo, ainda que velado, é presente na mídia”, explica a coordenadora do grupo, Marina Marçal.

Além do debate, será exibido o documentário“Nega Maluca“ não!, produzido pelo GT e pelos coletivos Siyanda e Madalena Anastácia. “Às vésperas do Carnaval, queremos debater essa figura da personagem Nega Maluca, explicando porque acreditamos ser racista”, acrescenta Marçal.

O evento terá início às 17h e contará com a presença da jornalista Luciana Barreto, da advogada especialista em Propriedade Intelectual Renata Shaw e da pedagoga Carolina Netto; além de Marçal e da presidente da OAB Mulher, Marisa Gaudio.

A sede da OAB/RJ fica Avenida Marechal Câmara, 150. Mais informações pelo telefone (21) 2272-2053.

Comentários