Websérie de Preta Rara está pronta para estrear

Rapper Criolo é o primeiro entrevistado; Programa vai ao ar em agosto

Joyce Fernandes, a Preta Rara, entrevistou Criolo, em um prédio da Capital (Foto: Fernanda Luz/AT)
Quase tudo o que acontece na vida de alguém está nas redes sociais: pensamentos, viagens, comemorações, nascimentos, perdas, mas são as histórias de revoluções pessoais as que mais comovem a audiência. Histórias como a da rapper santista Joyce Fernandes, mais conhecida como Preta-Rara, que se mudou para São Paulo recentemente e vem encabeçando diversos projetos.


Cada vez mais cercada de fãs e admiradores na internet e fora dela, Preta transformou sua imagem e trajetória num case de sucesso e está prestes a estrear a websérie chamada Nossa Voz Ecoa, um programa de entrevistas feito para o YouTube, mas que foi sondada por duas emissoras de tevê paga.


Preta revelou que, semana que vem, ela tem reunião com as duas empresas de canal pago sobre o projeto para tevê. “A websérie é como um programa de tevê que vai passar na internet, mas com protagonismo negro. A vocação do programa é abordar assuntos diversos, como gordofobia, racismo na infância, transfobia, uma porção de temas não apenas relacionados aos negros. A ideia é gerar incômodo e debate”, descreve Preta, que agora trabalha com uma equipe formada por designers, produtora, diretora e assessoria de imprensa.


O primeiro episódio foi gravado com o cantor e compositor Criolo, no alto de um edifício na frente da Praça Roosevelt. “Eu fui a um show dele que tinha 20 mil pessoas naquele lugar. Ele se emocionou quando subiu naquele prédio e olhou para baixo”, conta ela. “A locação de cada entrevista tem muito a ver com a história de nossos convidados”.


Contemplada pelo ProAC (Programa de Ação Cultural, do Governo do Estado de São Paulo), a primeira temporada da websérie terá dez episódios, com entrevistas de 20 minutos com gente como a ativista feminista Djamila Ribeiro e a escritora Clarah Averbuck.


Nossa Voz Ecoa estreia em agosto, com eventos em São Paulo e Santos, mas o burburinho na internet já está forte e Preta tem recebido convites para lançar o programa em cidades de diferentes capitais do País.


Pontos de virada
Sozinha, Preta-Rara se tornou voz de minorias sociais formadas por mulheres, negras e empregadas domésticas. Sim, Preta foi empregada doméstica, mas mudou essa realidade quando conseguiu fazer faculdade e se tornar professora de História, em São Vicente.


Outro ponto de virada veio no ano passado, quando lançou a campanha #euempregadadoméstica em sua página no Facebook, chamando a atenção de domésticas de todo o Brasil. Preta recebeu centenas de depoimentos para compartilhar na página e ela tem ideia de publicar um livro e fazer um documentário sobre o tema.


Paralelamente a isso, lançou o primeiro CD solo, o independente Audácia, e foi convidada a participar como palestrante da conferência internacional TEDx, em São Paulo.


Tanta exposição levou Preta a ser convidada para participar de programas de entrevistas na Globo e MTV.


Ela conta a que a ideia de fazer a websérie Nossa Voz Ecoa surgiu quando ela e sua equipe começaram a produzir o teaser sobre #euempregadadomestica (para a campanha de crowdfunding na internet).

“Naquela pequena produção, me veio a ideia de fazer um programa de entrevistas com pessoas pretas, já que a gente não consegue se ver na televisão. Comecei a pensar como seria isso”. E conseguiu!

Opinião da Preta : Sucesso para a Preta .

Comentários