Museu do Negro do Rio de Janeiro

Memória e devoção em um templo sagrado









Situado dentro da Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos, pertencente à Irmandade de mesmo nome que tem mais de três séculos, o Museu abriga um respeitável acervo que inclui, além de registros da história dos negros no Brasil, objetos de culto religioso e de devoção, sendo, por exemplo, o único museu de veneração de Anastácia, escrava brasileira que é reverenciada como santa na religião afro-brasileira.



O Museu foi tombado em 1938 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e muitos registros e documentos importantes, que sobraram do grande incêndio da igreja em 1967, estão hoje nele guardados. As peças expostas incluem fotografias, esculturas, livros do século XIX, indumentárias e instrumentos de tortura, alguns dos quais doados por ex-escravos e traficantes de escravos.

Destacam-se também os dois únicos estandartes dos abolicionistas, e chama atenção uma grande peça de mármore que é o molde original que serviu de base para o jazigo da Princesa Isabel e do Conde D’Eu. Objetos mais contemporâneos também fazem parte do acervo, como os troféus que a atriz Ruth de Souza ganhou ao longo de sua carreira.

O Diretor de pesquisa e acervo do Museu do Negro, Ricardo Passos, que também é historiador, professor e um pesquisador dedicado, realiza um programa de visita guiada chamado Circuito Afro, que inclui as dependências internas e as áreas externas dos arredores, nos principais pontos que marcam a história dos negros na cidade.

A visita ao Museu é complementada com uma visita à Igreja. Segundo consta, próximo à porta de entrada estão enterrados os restos mortais de Mestre Valentim, grande entalhador que deixou sua marca registrada em belíssimas obras-primas executadas em várias igrejas do Rio. A igreja também realiza missas especiais, como as de Cura, que acontecem todas às quintas-feiras e duram três horas, das 12h às 15h, e que costumam lotar o templo com muitos fiéis. Em outubro é comemorado o dia de São Benedito com procissão e uma tradicional feijoada
.


Opinião da Preta: Vale a pena a visita !

Comentários