Mulheres criam protetor solar próprio para a pele negra

As nigerianas Chinelo Chidozie e Ndidi Obidoa lançaram a marca Bolden, que não deixa aspecto esbranquiçado



Que atire a primeira pedra quem nunca perguntou: “Ficou branco?”, depois de espalhar protetor solar no rosto. Para as pessoas de pele negra, então, é muito mais difícil não ficar com o corpo “manchado” pelo produto.

Sim, pessoas negras também precisam passar protetor solar. Foi o que descobriu, já com certa idade, Chinelo Chidozie, cofundadora da marca Bolden. “Eu cresci pensando que, se você tem melanina, Deus já te deu a proteção que precisa”, disse em entrevista à Elle americana.

“Nós crescemos na África e você deve imaginar o calor e o sol que pegamos todos os dias. Usávamos muito hidratante, mas não protetor solar. Pessoas negras de todos os lugares do mundo não acham que precisam”
, completou Chinelo.
Foi durante férias com a sócia e cunhada (as duas são casadas com irmãos), Ndidi Obidoa, que nasceu a ideia de um protetor solar específico para a pele negra. Ao comprar o bloqueador em uma farmácia local, elas não conseguiram fazer com que o produto ficasse transparente nem mesmo após esfregar muito. Viram mercado para um público específico.

O filtro em questão foi desenvolvido para não deixar vestígios brancos na face, tem FPS 30, vitamina C, hidratante e ação antioxidante. O e-commerce da Bolden entrega no Brasil.
Opinião da Preta: Noticia boa!

Comentários

Postar um comentário

Comente , dê sua opinião!
Beijo das Pretas