Tiro adia projeto de estudante que sonha ser atleta

Baleada na mão em Laranjeiras, Laís Paz teria prova de remo no domingo


O sorriso sereno de Larissa Paz, de 17 anos, não reflete nem de longe a tensão vivida por ela anteontem, ao ser baleada num assalto a uma loja de departamentos em Laranjeiras. Aluna do 2º ano do ensino médio do Colégio Estadual Amaro Cavalcanti, que fica no Largo do Machado, a poucos metros do local do crime, a estudante levou um tiro na mão esquerda, que, segundo a família, provocou mais do que fratura exposta e traumatismo em dois dedos: o ferimento adiou por tempo indeterminado duas paixões que guiam de Larissa, o remo e a dança.

Apesar de a paixão pelo esporte ser recente, ter começado há três meses, a adolescente já disputava na categoria estreante pela equipe do Vasco. Federada recentemente, ela participaria de uma competição no domingo. Apesar do impacto, Larissa diz que está bem:

Ontem, acordei melhor do que nunca, mas o desfecho do meu dia não foi como eu esperava. Infelizmente, não podemos nem sair de casa. Mas meu sonho não acabou. Vão ter outros campeonatos, voltarei muito mais forte.

A vocação artística da menina, que dança desde os 7 anos, vem de berço. Toda a família de Larissa é ligada às artes. Juntos, tocam o Projeto Origens, que trabalha com inclusão social por meio da dança. Em maio, ela foi indicada para melhor bailarina no I Festival de Dança do Zimba, realizado pela prefeitura. Irmã mais velha, a rainha de bateria da Estácio de Sá, Luana Bandeira, acredita que a jovem tem um “brilho diferente”:

Ela é a caçula de quatro irmãos. Trabalhamos desde cedo e ela sempre se destaca em tudo.

Para os amigos, Larissa é ativa, dedicada e talentosa.

 Ela sempre quis ser artista. É muito madura, uma pessoa que dá orgulho de ter do lado. Estava aproveitando as oportunidades, agora vai ter que esperar — lamenta Thaiana Rodrigues.

Após o assalto, Larissa foi encaminhada ao Hospital Municipal Souza Aguiar, onde passou por cirurgia para colocar fios de metal na mão baleada. A mãe da jovem, Simone Paz, estava alerta em relação à violência na cidade, desde que a filha começou a estudar no período da noite:

Minhas amigas já tinham contado que as filhas foram assaltadas. Comprei um carregador portátil de celular para ela, na intenção de ficar em contato permanente, sem risco de o telefone dela descarregar.

Diretora do Departamento de Remo do Vasco, Gracília Portela garantiu que o clube está à disposição e vai prestar assistência médica à atleta.

Aguardamos a liberação para fazer uma visita. Assim que ela sair do hospital, vamos começar o atendimento com nosso corpo técnico, se for da vontade da família — contou.

Além de Larissa, ficaram feridos no assalto Daniel Rios Maria, de 63 anos, que foi alvejado na panturrilha, e Leandro Moura Leão, também de 17 anos, atingido no braço. A investigação do assalto está em andamento na 9ª DP (Catete). Segundo a Polícia Civil, as câmeras de segurança já foram analisadas e outras diligências estão sendo realizadas para identificar e prender os autores do crime. Os agentes já ouviram funcionários e testemunhas
.
Fonte : O Globo

Opinião da Preta : Na torcida pela rápida recuperação de Lais.

Comentários